3 de set de 2009

Uma surpresa, a presença dele. Ela se agarrava a um fio de esperança que restava, não queria se iludir ao pensar que estava imaginando coisas, nem ao menos queria deixar que seu estímulo para prosseguir acabasse. Ela queria acreditar que ele também estava apaixonado por ela. Essa não era nenhuma daquelas paixões que a gente conhece muito bem a pessoa e por isso admira muito o jeito de ser, não, não. Ela havia aberto os olhos e simplesmente visto que por mais que não o conhecesse direito, era ele que saberia a completar. Não se tornando dependente, claro. Acredito que nascemos completos, mas precisamos de alguém que nos ajude a retificar nossas imperfeições. Era ele, ela sabia.


p.s.: Nem tudo que eu escrevo se refere necessariamente a mim.



4 comentários:

  1. Miinha amiga escreve tão bem! *-*
    Liindo texto! =)
    ' Era ele, ela sabia. ' :D te amo!

    ResponderExcluir
  2. adoro seu jeitinho de escrever sem explicar muito! O leitor fica curioso em saber a conclusão dos textos. =)) também adoro muito você ok?? beeijos!!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir